Inserindo um Insumo

Informações sobre o menu Cadastro.

Inserindo um Insumo

Mensagempor Documentador2 » 28 Jan 2010, 01:07

Insumos

Insumos é o conjunto de todos os materiais, serviços, equipamentos e profissionais especializados utilizados diretamente na construção de uma obra. O cimento, a areia, a brita, o aço e as peças de madeira, assim como o pedreiro, o servente, o encanador, carpinteiro, a betoneira, o vibrador de concreto e a retroescavadeira são classificados como insumos básicos da construção civil.

Como existe a incidência de fatores de cálculo diferenciados para a quantificação dos custos de materiais, mão-de-obra, equipamentos e serviços terceirizados, torna-se necessário definir a que grupo pertence cada insumo, já que o sistema ORSE tratará cada um deles de acordo com as características deste grupo.

O custo de mão-de-obra, por exemplo, não é obtido pelo simples produto da quantidade de horas trabalhadas pelo valor do salário-hora do profissional, pois sobre o valor unitário de sua remuneração incidirão os encargos trabalhistas constitucionais ou específicos da CLT como férias, décimo-terceiro salário, fundo de garantia por tempo de serviço e outras contribuições que compõem o custo total da hora trabalhada de cada operário.

Os materiais básicos convencionais e os serviços terceirizados possuem características de cálculo de custos idênticas, porém para efeito de classificação contábil, é interessante para o empreendedor saber os valores relativos dos mesmos em relação ao preço final do empreendimento.

Os equipamentos utilizados na construção têm custos diferenciados quando em atividade e quando estacionados à disposição das eventuais necessidades de uso, já que os gastos com combustível, por exemplo, não existem nesta última condição, enquanto que as despesas financeiras, a depreciação e os custos de operação acontecem em ambas as situações.

Devido a estas variáveis, o sistema ORSE classifica os insumos em quatro grupos básicos:
• EQUIPAMENTOS
• MATERIAIS
• MÃO-DE-OBRA
• SERVIÇOS DE TERCEIROS

Equipamentos utilizados de forma corriqueira na construção civil como betoneiras, vibradores de concreto, tratores, caminhões, guindastes, gruas, serras elétricas etc., cujos custos são determinados através da quantificação do tempo de utilização produtiva (em atividade) e improdutiva (imobilizados e à disposição da obra), são vinculados ao grupo EQUIPAMENTOS.
Equipamentos de pequeno porte como furadeiras, máquinas de corte e dobra de ferro e ferramentas em geral têm seus custos diluídos nas despesas indiretas da obra.

Materiais de uso comum na confecção de argamassas, concretos, alvenarias, formas e coberturas, como o cimento, a areia, a brita, o aço, as telhas e a madeira, por exemplo, estão vinculados ao grupo MATERIAIS.

O contingente de trabalhadores envolvidos na execução de uma obra, como pedreiros, carpinteiros, serventes, encarregados etc., que terá seus custos acrescidos dos encargos sociais institucionais, será vinculado na classificação geral ao grupo MÃO-DE-OBRA.

Serviços geralmente terceirizados como o fornecimento e a instalação de elevadores, forros e pisos especiais, objetos de decoração de ambientes, a execução de fundações não convencionais, enfim, todas as atividades e componentes da obra que por motivo de conveniência financeira ou administrativa sejam mais bem executados por empresas especializadas são identificados simplesmente como SERVIÇOS DE TERCEIROS.

Manutenção do Cadastro de Insumo:

01 – Clique no Menu Cadastro... Insumos... Fonte ORSE e outras
A janela onde se processa a edição de dados dos insumos é visualizada. Em sua parte superior, as alternativas são propostas em forma de botões específicos, todos dotados de teclas de atalho para manuseio via teclado.
Veja que no menu principal do programa, foi inserida mais uma opção, imediatamente antes da alternativa “Cadastro”. Trata-se de um menu auxiliar, que poderá ser acessado como uma alternativa para os botões e teclas de atalho.

02 - Clique no botão Inserir
Os campos Fonte, Código e Data de Cadastro são preenchidos automaticamente pelo programa.
A fonte vinculada ao novo insumo é definida pelo usuário no menu Ferramentas...Preferências.
Nesta e em todas as janelas de cadastro, as informações cuja descrição contém um asterisco (*) no final são de preenchimento obrigatório.

Unidade nas composições - é a unidade adotada para quantificar o insumo nas composições de preços unitários. O cimento, por exemplo, é mais frequentemente usado nas composições de preços com a unidade “quilo” (kg).

Descrição do Insumo - na definição da descrição devem ser tomados cuidados no sentido de padronizar a identificação de insumos semelhantes com pequenas variações, como, por exemplo:
TUBO PVC CLASSE 12 DIÂMETRO _50MM
TUBO PVC CLASSE 12 DIÂMETRO _75MM
TUBO PVC CLASSE 12 DIÂMETRO 100MM
Observe que existe um espaço a mais antes dos diâmetros 50mm e 75mm, objetivando posicionar, quando listados em ordem alfabética, o de menor diâmetro antes do que possui um diâmetro maior.
Deve-se tomar cuidado, também, com a posição das palavras na frase que identifica os insumos, procurando-se sempre obedecer a uma ordem única, objetivando facilitar sua localização e padronizar a apresentação de listagens onde os mesmos sejam relacionados.

Grupo - todos os insumos devem ser vinculados a grupos específicos, tanto para efeito de cálculos quanto para fins de organização estruturada dos dados dos arquivos.
Cada um dos grupos de insumos do ORSE tem seus respectivos subgrupos, aos quais devem ser relacionados todos os materiais, componentes de mão-de-obra, equipamentos e serviços.
Clicando na caixa combinada Grupo [...], abre-se uma janela adicional onde são relacionados todos os grupos cadastrados.
O usuário deverá definir o grupo a que o insumo pertence e selecionar entre os apresentados nesta janela, lembrando que apenas no último nível de cada grupo é permitida esta classificação.
Por exemplo, se o insumo a ser cadastrado pertence ao grupo “EQUIPAMENTOS”, o usuário não poderá simplesmente selecionar este grupo na caixa combinada, e sim procurar o subgrupo mais adequado.
Se existir, além do subgrupo, uma outra divisão, esta deverá ser usada para classificar o insumo de forma correta. O ORSE não validará o cadastramento se o insumo não estiver vinculado ao último nível do respectivo grupo.

Período - informado no grid localizado na parte inferior da janela de manutenção do cadastro de insumos, é o mês e o ano em que o preço unitário a ser informado irá vigorar.
Ao ser cadastrado um novo insumo, o ORSE assume, por “default”, o último período em que os arquivos foram atualizados via Internet. O usuário, entretanto, a seu critério, poderá definir outra data para o mesmo.

Custo Adotado - é o preço unitário a ser usado nos orçamentos de que o insumo atual fará parte, relativo ao mês informado.

Data da Revisão e Responsável são preenchidos automaticamente. Um histórico detalhado de todas as alterações processadas desde a inserção dos insumos no cadastro estará disponibilizado no grid.

03 – Clique no botão [Salvar]
O insumo já está pronto para ser usado na planilha da obra.

Se o insumo é um equipamento e você deseja que seu custo horário seja calculado automaticamente pelo ORSE, deverá clicar na guia Equipamento localizada na parte superior do grid. A guia somente será visualizada se o insumo estiver no Grupo Equipamentos.

Uma nova janela será aberta e os seguintes dados deverão ser informados:

Valor de Aquisição - valor de compra do equipamento a preços de mercado atuais ou estimados em função da idade e das condições de uso do mesmo, a critério do usuário.

Potência - Potência em HP do equipamento. Equipamentos que não utilizam combustíveis são caracterizados como se tivessem potência 0 (zero).

Vida Útil - Vida útil estimada do equipamento, em anos.

Horas Trabalhadas por Ano - Quantidade de horas trabalhadas durante um ano pelo equipamento.

Coeficiente de Manutenção - Número tabelado de acordo com o porte, as condições de trabalho do equipamento e o custo dos componentes de constante reposição como filtros, pneus e outros.

Valor Residual - em forma de percentual, representa o valor relativo do equipamento ao fim de sua vida útil em comparação com seu valor de compra original.

Uso de Material - percentual relativo ao tempo médio em que o equipamento consome combustível em relação à sua vida útil.

Combustível - seleciona o combustível utilizado pelo equipamento. O custo unitário deste combustível, que deverá estar previamente cadastrado no banco de dados de insumos, aparecerá assim que o mesmo for definido.
Se o equipamento é movido apenas através da força humana, ou seja, se não necessita de qualquer tipo de combustível para funcionar, o usuário deverá escolher qualquer um dos combustíveis apresentados nesta caixa combinada, já que o ORSE não admite o preenchimento “em branco” deste campo.
Neste caso, para evitar que o custo do combustível componha o preço produtivo do equipamento, deve-se informar o valor da potência como 0 (zero).

Mão-de-Obra - é a relação dos componentes da equipe de operadores do equipamento. São importados dados do cadastro de insumos com seus respectivos custos horários. A quantidade de horas trabalhadas por hora de operação do equipamento é definida pelo usuário e informada na coluna “Quantidade”.
Por exemplo, se são necessários dois serventes para operar uma máquina, deve-se digitar o número “2” na coluna “Quantidade”.
Para acrescentar novos operadores, o usuário deve simplesmente incrementar uma linha em branco ao final do grid, com o uso da seta do teclado (para baixo) e preencher os dados solicitados.

Ao final do preenchimento dos dados, o ORSE apresenta no rodapé da tela os custos horários produtivos e improdutivos do equipamento. O custo produtivo calculado desta forma poderá servir como referência ou ser adotado como preço unitário do insumo para efeito de estimativa de custos de obras.

(O texto acima é uma compilação do Manual do ORSE)
Documentador2
 
Mensagens: 118
Data de registro: 25 Out 2009, 18:40

Retornar para Menu Cadastro

Quem está online

Usuários vendo este fórum: Nenhum usuário registrado online e 0 visitantes

cron